Putos e “Bichos”

Nesta altura do ano em tanto se fala e vê (infelizmente) o abandono de animais a aumentar, optei por dissertar um bocadinho sobre a importância de termos animais de estimação e sobre as mais valias reais no desenvolvimento das nossas crianças.

Os estudos indicam-nos que uma criança que tenha o privilégio de crescer, viver ou conviver com animais, é mais afectiva, generosa, humana e solidária e tem uma maior capacidade para compreender acontecimento assim como sensibilizar-se com acontecimentos e pessoas.

Além disto são obvias as correlações positivas entre ter um animal de estimação e o desenvolvimento da autonomia e responsabilidade.

As crianças que crescem com animais também se preocupam mais com a natureza e com os problemas sociais, tornando-se mais justas.

E também amam mais (isto já sou eu a inventar), só quem tem (ou teve) um animal de estimação, seja ele qual for, compreende que estas coisas do amor puro e desinteressado existe, é real e sentido, no enrolar nas pernas a meio da noite, ou na alegria quando chegamos a casa.

E quem melhor para ensinar as nossas crianças o que é isto do “amor” que os animais?

E ainda para mais, já viu como o amor  pode ser adoptado? Adopte amor. Adopte um animal.

Cristina Fonseca

___________________________________________________________________

Situações em que os animais são bem mais que os melhores amigos:

· Pacientes com autismo foram “acordados” do seu estado de constante recolhimento na presença e convívio com animais;

·Nos Lares de Idosos a presença de animais aumenta as expectativas de vida;

· A hipoterapia (terapia complementar com cavalos) é utilizada no desenvolvimento psicomotor de portadores da síndroma de Down e outras deficiências neuropsicomotoras congénitas ou adquiridas;

· Os animais são indicados para pessoas com deficiências sensoriais (cegos e surdos), dificuldades de coordenação motora (ataxia), atrofias musculares, paralisia cerebral, distúrbios comportamentais e outros problemas.

· O cão é capaz de pressentir antecipadamente as “convulsões” características da epilepsia, quer seja no ser humano quer noutro animal.

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s