Disciplina Positiva

Quando pensamos em disciplina, as Disciplina Positivapalavras mentais que lhe encontramos associadas são o rigor, a ordem e a exigência. Surge quase como algo penoso e que tem de ser implementado a todo custo.

Foi por isso que quando comecei a estudar a disciplina positiva (o modelo de Jane Nelsen), me identifiquei e apaixonei pelo método.

De uma forma muito simples, a disciplina positiva pode ser definida recorrendo à expressão “amor e ponto final”. Rigor, ordem e exigência, mas no campo dos afectos e da entrega.

Existem no entanto algumas formas de estar que são preponderantes no sucesso em disciplinar com amor:

“Falar a sério” – nada retira mais a uma criança o foco do respeito e da participação que a inconsistência entre o que se diz e do que se faz.

–  “A flexibilidade é uma auto-estrada para a serenidade” – As regras têm de ser ajustadas e não podem ser as mesmas durante 5, 10 anos, as crianças mudam e o que para elas faz hoje sentido e resulta, amanhã é “regra gasta”.

–  “Ser claro no que espera” – Indicar às crianças o comportamento, gesto e atitude que gostaria que elas tivessem é muito mais produtivo que uma lista de “NÃOS”. O Não, não indica caminho.

Deixo algumas estratégias da disciplina positiva, se fizer sentido para si, tente:

  • Seja firme, mas gentil – As crianças tendem a deixar de comunicar quando está exaltado, ou quando grita, mas também se tornam pouco cooperantes quando sentem que conseguem “manipular” o coração dos pais, ao abrir aqueles olhinhos lindos que vocês lhe deram. Firme mas com um tom de voz respeitoso e focado nas necessidades de ambos.
  • Promova autonomia – Atribuir pequenas tarefas às crianças, não só contribui para as manter longe de possíveis situações de “trapalhada” como lhes transmite que são elementos muito valiosos na vossa casa, que contribuem para o bem estar de todos e lhes possibilita a conquista orgulhosa do “serem capazes”.
  • Seja foco do seu filho – As idas ao supermercados, as sala de espera do pediatra podem ser frustrantes para si. Respire fundo, não está à espera que uma criança se comporte como um adulto pois não? Encontre estratégias de distração, peça-lhe que segure o pacote das bolachas, porque não se podem partir, têm de chegar todas inteiras à vossa tarde de sofá, ou que observe todos os artigos dentro do carrinho de compras e tente identificar o artigo mais caro e o mais barato. Ajude o seu filho a focar-se noutra coisa.
  • Ofereça escolhas limitadas – As escolhas limitadas desenvolvem na criança a capacidade de fazer escolhas, não deixando que perca o controlo da situação. Perguntar a uma criança “ o que é que queres fazer agora que acabaste os trabalhos de casa?” e ouvir um “ quero ir ao parque”, quando na realidade você não tem tempo nem vontade de o levar o parque, não só não é coerente (porque na realidade, perguntou-lhe) como pode criar um ambiente de frustração para ambos. Ofereça então escolhas limitadas “Agora que acabaste os trabalhos de casa, o que preferes fazer, pintar um desenho ou construir com plasticina?”. Continua a dar-lhe o poder de decisão e está a minimizar os riscos de uma birra ou incapacidade de gerir frustação, a da criança e a sua.

Cristina Nogueira da Fonseca

Anúncios

One thought on “Disciplina Positiva

  1. Pingback: O que é a Disciplina Positiva? ♥ | Psicólogos e Psicologias

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s