Os 4 Segredos da maioria dos Pais

Os pais que recebo e com quem passo muitas horas a reflectir e a crescer em conjunto têm todos duas características em comum, partilham de uma vontade imensa de fazer melhor e todos têm segredos, ou pelo menos assim os consideram, coisas que fazem, dizem ou que deixam fazer mas que sentem “vergonha” de anunciar em público e que guardam para si quase como penitência emocional.

Algumas vezes tenho pena de não os poder sentar uns com os outros, todos os pais partilham os mesmos segredos, não são segredos obscuros, são apenas realidades que crescem em sítios dolorosos e de culpa criados por aquilo que ao longo do tempo fomos acreditando ser o “certo e o errado” nesta coisa de se educar, formar e amar crianças.

FF-SO

Segredo Número 1.

Eu grito e perco as estribeiras

Todos os pais têm maus dias daqueles dias que gostávamos que viessem acompanhados da opção pressionar o botão do “rewind”. Se sentem que perderam as estribeiras, peçam desculpa, façam dos vossos momentos de erro momento de aprendizagem, é normal errar, façam com que seja também normal assumirmos o nosso erro.

Segredo Número 2.

Deixo-o ficar tempo demais na TV, no Telemóvel ou no IPAD

Esta é a tua casa e a tua família e provavelmente passas tempo demais com sentimentos de culpa. Tens primeiro de perceber se a culpa que sentes é pelo que queres fazer ou pelo que os outros te dizem que é errado estares a permitir. O teu filho não vai ficar traumatizado por ficar tempo extra à televisão ou ao telemóvel, claro que o aconselhável é que ele faça outra coisa, mas se precisas daqueles 20 minutos extra para te organizares, se não tens mesmo outra opção, não te penalizes. Agora se queres e podes fazer de outra maneira, reorganiza-te.

Segredo Número 3.

Há alturas que já não quero saber e acabo por ceder.

Cansados demais para lutar, para argumentar, são tantos e tantos os pais que chegam a um momento que cedem. Considera esse momento a tua pausa, não o teu momento de culpa. Encara-o como o momento em que decidiste pensar em ti e poupares-te a mais guerra. Assim, simples.

 

Segredo Número 4.

Amo o meu filho, mas nem sempre gosto de ser mãe/pai

Não há muitas Madres Teresas nem Mary Poppins com fartura. Temos o direito de nos sentirmos frustrados, irritados e possessos, são entre 10 a 12 horas diárias dedicadas a um projecto de 18 a 20 anos, exercido probono e que nem sempre nos dá o retorno que gostaríamos. Existirão erros, frustrações e mal entendidos, mas o mais importante é que vão todos sobreviver a isso, graças à cola que une todos os meus pais aos seus filhos, o Amor.

Cristina Nogueira da Fonseca

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s